quarta-feira, 31 de agosto de 2011

TAM fica lotado para receber OSRN



O início da Temporada 2011 de Concertos da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte (OSRN) não poderia ser melhor, casa cheia na plateia e camarotes. O público que compareceu ao Teatro Alberto Maranhão foi bastante variado, de crianças a idosos, mostrando que o gosto para a música clássica não tem idade.

Nesta terça-feira, 30 de agosto, o erudito "roubou" a cena por uns instantes no mês dos brincantes e folguedos que dão vida e brilho ao Agosto da Alegria. No palco, com a regência de padre Pedro Ferreira Costa, 66 músicos, entre efetivos e convidados da Sinfônica, tocaram dois clássicos que prenderam a atenção de todos, sob um silêncio absoluto, só quebrado com o reconhecimento das palmas à OSRN.

“Essa noite representa, indubitavelmente, uma fase nova para a Orquestra Sinfônica do Estado”, disse o diretor da OSRN, Franciso Marinho.

A primeira Peça apresentada foi a Abertura de Flauta Mágica, de Mozart. A ópera tem a forma de um complexo “Divertimento” que expressa uma postura Moral, personalizada a influência do bem e do mal, e oportuna a intercessão do “sobrenatural” para as transformações cabíveis na história da humanidade. A Flauta Mágica representa a última obra prima de Mozart.

Com movimentos suaves e bruscos padre Pedro regia a Orquestra enquanto o público “interagia” com a música de forma bem discreta, em um olhar mais apurado, um balançar de cabeça e até mesmo acompanhando o ritimo com os pés. Alguns chegavam a fechar os olhos para buscar no imaginário a beleza da composição.

 A segunda foi a 5ª Sinfonia de Tschaikowsky, dividida em quatro atos. Mais do que uma ambição de uma vasta e densa arquitetura musical moldada na plasticidade de uma harmonia cheia de profundo sentimento; permite fluir o encanto de uma melodia agraciada com a riqueza da fantasia, a novidade da argumentação do discurso compreensível e a solidez elegante da forma orquestral.

“Eu entendo que a Orquestra vive um momento mais oportuno e feliz para apresentar ao público a primícia do seu trabalho. A semente foi plantada e o primeiro fruto este sendo colhido”, afirmou o regente.

Com a abertura da Temporada 2011, a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte continua os Concertos Oficiais nas últimas terças-feiras de casa mês, podendo haver outras apresentações em datas a serem definidas que serão informadas ao público.

Padre Pedro Ferreira Costa – Regente

Padre Pedro Ferreira é Natalense, participou da Banda de Música do Departamento de Educação aos 7 anos de idade.  Criou o Madrigal da UFRN e o Coral Canto do Povo da Fundação José Augusto, que também está sob sua regência e criou também o Coral Lourdes Guilherme da então Escola Técnica Federal do RN. É Mestre e Doutor em Filosofia e Música pela Pontífica universidade Gregoriana e pelo Instituto de Música de Roma (Itália) defendendo a tese sobre o “De Musica” se Santo Agostinho, e Linguagem da Estética Polifônica.
 

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Shows musicais encerrarão o Agosto da Alegria, de quarta a domingo


Carlos Zens, Isaque Galvão, Khrystal, Rosa de Pedra, Siba e Fuloresta do Samba e Waldonys comporão o naipe de atrações musicais do Agosto da Alegria, que entra na última semana de atividades. A partir da próxima quarta-feira, 31 de agosto, o Pátio do Palácio Potengi, sempre a partir das 20h30, será tomado pelo talento desses artistas de peso do cenário local e nacional.
Na quarta-feira, será a vez de Carlos Zens; no dia 1º, Isaque Galvão e Khrystal, no dia 2 de setembro, Rosa de Pedra, no dia 3, a atração pernambucana, Siba e Fuloresta do Samba. E, encerrando as atividades do Agosto da Alegria na linguagem Música, o sanfoneiro Waldonys, se apresenta no Largo do TAM, a partir das 20h, no domingo, 4 de setembro.
Instrumentista, flautista e compositor, Carlos Zens está trabalhando em seus shows recentes a temática “Do mar ao sertão”. No repertório, como sempre, uma diversidade rítmica que faz parte da trajetória artística do cantor e músico. Ao seu lado no palco os músicos: Pedro Paulo (violão, viola 12 cordas e vocal); Ricardo Menezes (violão 7 cordas); Ademir Adriano (acordeom); Kleiber Viana (surdo, zabumba e triângulo) e Dudu Campos (efeitos e alfaia).
No show intitulado Meu Nordeste Brasileiro, Isaque Galvão e Khrystal apresentarão um show que enaltece as raízes nordestinas, com direito a muito coco, forró e outros ritmos regionais. O público vai ouvir da voz potente de Isaque Galvão, canções como “Pau de Arara” e “Boi Tungão”; Khrystal, canções como “Coco com M” e “Gosto do Amor”.
Em seguida, no dia 2, será a vez da banda Rosa de Pedra, que atua na cena independente desde 2002, fazendo bonito no quesito trabalho autoral, fundindo sons como o pop, regional, rock , e diversos sons da cultura popular como coco, ciranda e da música universal. De acordo com divulgação, a proposta musical da banda “mistura sons de rabeca, baixo, guitarra, percussão, bateria e vozes lavadeiras ; com ritmos e poesias que retratam o cotidiano, mestres populares e a religiosidade brasileira, com sotaque nordestino unindo vertentes do tradicional com o contemporâneo-urbano”.
Integrando durante 12 anos o grupo Mestre Ambrósio, Siba após o fim daquela banda, adentrou no universo de ritmos pernambucanos, indo morar na Zona da Mata, onde fincou ainda mais suas raízes musicais pesquisando e interagindo com os grupos locais que faziam o maracatu rural, o coco e a ciranda, só para citar três. Assim, surgiu o grupo Siba e a Fuloresta do Samba que se apresenta no Palácio Potengi, no sábado, dia 3, a partir das 20h30, com entrada gratuita. Mergulhando e respeitando as tradições, sem perder suas vertentes musicais, Siba é atualmente considerado um dos mais novos mestres na nova geração da ciranda e do maracatu. Vale à pena conferir essa atração.
Finalizando as atrações musicais, o sanfoneiro Waldonys e o Festival de Quadrilhas Juninas Campeãs, ocuparão o Largo do TAM, ou Largo do Dom Bosco, no domingo, 4 de setembro, a partir das 20h. Waldonys já é bastante conhecido pela destreza com que toca seu acordeom. O virtuosismo do músico e cantor o levou à pecha de “garoto atrevido”, pelo Rei do Baião, Luiz Gonzaga, numa ocasião em que ambos foram apresentando e Gonzagão conferiu o talento do ainda menino Waldonys.
Shows Agosto da Alegria
Sempre a partir das 20h30, no Palácio Potengi
Dia: 31 – Carlos Zens
Dia 1º de setembro – Isaque Galvão e Khrystal
Dia 2 – Rosa de Pedra
Dia 3 – Siba e Fuloresta do Samba
Show no Largo do TAM
Dia 4 – Waldonys e Festival de Quadrilhas Juninas Campeãs

Na foto: a banda Rosa de Pedra, que faz parte das atrações musicais



Agosto da Alegria terá I Encontro de Bonecos e Bonequeiros do RN


Começa a partir da próxima quarta-feira, 31 de agosto, indo até dia 3 de setembro, dentro do Programa Agosto da Alegria 1º Encontro de Bonecos e Bonequeiros do RN. Serão várias atividades divididas entre o Palácio Potengi, o Museu do Homem Missioneiro, na Vila Feliz em Pium e na Feira do Alecrim. O evento tem o objetivo de fazer conhecer e dar visibilidade ao Teatro de Bonecos Popular do Rio Grande do Norte, denominado João Redondo. Dentro da programação, ocorrerão apresentações e rodas de conversa com 30 brincantes.

Com isso, de acordo com a presidente da Associação Potiguar de Teatro de Bonecos (APOTB), Maria das Graças Cavalcanti Pereira, o 1º Encontro de Bonecos e Bonequeiros do RN pretende aproximar diferentes campos do conhecimento, acolhendo gestores culturais, reunindo diferentes atores sociais— professores, alunos e comunidade— num ambiente propício ao diálogo entre os saberes da tradição e saberes acadêmicos, onde estarão presentes os mestres brincantes, pesquisadores, entre outros convidados para compor esse diálogo.

“Para o sucesso deste evento é fundamental a participação das instituições públicas e privadas, das diversas entidades da sociedade civil, dos pesquisadores, artistas e da sociedade em geral. Afinal, este patrimônio pertence a sua comunidade e por ela deve ser cuidado”, afirmou Graça Cavalcanti, uma das entusiastas dessa forma de manter a tradição da cultura popular, dando vida ao teatro de bonecos.


Programação de atividades

Quarta-feira, 31 – Vila Feliz em Pium

A partir das 12h, haverá confraternização da chegada dos mestres no Museu do Homem Missioneiro, Vila Feliz em Pium; abertura da exposição no Museu Café Filho com o acervo do mestre Raul do Mamulengo e de acervo da APOTB- Associação Potiguar do Teatro de Bonecos, com exemplares de vários mestres desse teatro e apresentações públicas. A partir das 18h haverá apresentações no pátio do Palácio Potengi, no Centro da Cidade.

1º de Setembro – Vila Feliz em Pium
Das 8h às 12h – haverá a abertura oficial com presença da secretária Extraordinária da Cultura, Isaura Rosado, além de apresentações do Teatro de João Redondo e palestras sobre esse saber: iniciando com o Professor Dr. Ricardo Eiker Canella/UFPB – falando sobre “A construção da personagem no João Redondo de Chico Daniel”; a professora Ms. Maria das Graças Cavalcanti/UFRN – que falará sobre o tema “Registro do Teatro de João Redondo no RN” e o professor,  Humberto Braga/RJ – “.

Das 14h às 17h, seguem as discussões a Roda de Conversa com os 30 mestres do João Redondo, além de mestres representando o teatro de Bonecos da Paraíba, abau;  do Ceará,  Cassimiro Coco do Ceará e o teatro de Bonecos de Brasília.

2 de setembro – Vila Feliz em Pium

A partir das 12h, haverá apresentações de João Redondo e uma mesa formada por gestores públicos, instituições culturais e pesquisadores para a exposição da palestra de Claúdia Vasquez/DPI/IPHAN – Brasília, sobre o andamento do dossiê da Instrução técnica sobre o Processo de Registro do Teatro de Bonecos Popular do Nordeste como Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil.

De acordo com Graça Cavalcanti, esse pedido de registro junto ao IPHAN foi encaminhado pela ABTB (Associação Brasileira de Teatro de Bonecos- UNIMA Brasil) em abril de 2004 e atualmente após a pesquisa documental e de campo dessa expressão popular nos estados do RN,PB,PE,CE e Brasília, com apoio de instituições diversas, entidades da sociedade civil, artistas e bonequeiros em geral, essas informações foram sistematizadas na forma de um dossiê de Registro, ou seja, um conjunto documental composto por textos, fotos, documentos diversos e vídeos e esse material está sendo objeto da apreciação do Conselho Consultivo do IPHAN, que se posicionará sobre o pedido do bem. Teremos ainda a explanação de Renato Perré- Presidente da Associação Brasileira do Teatro de Bonecos, sobre as Ações de Salvaguarda para a manutenção do Teatro de Bonecos Popular do Nordeste e do João Redondo em particular, que na pesquisa conseguiu registrar o maior número de mestres brincantes, no total de 40 mestres.

Após breve intervalo haverá uma plenária com representantes de Entidades Culturais — Secultrn/FJA, Iphan-RN e do Distrito Federal, Minc/NE, UFRN, ABTB, IPHAN-DF, Comissão de Folclore, Fundação Capitania das Artes e pesquisadores, se posicionando sobre o papel das instituições no processo de Manutenção do João Redondo no RN, com a mediação de Renato Perré – Pres. ABTB- Associação Brasileira de Teatro de Bonecos.

À tarde, das 14h às 17h haverá uma oficina com a técnica do Ventríloquo, ministrada pelo mestre Augusto Bonequeiro/CE para o público presente.

Palácio Potengi, Praça André de Albuquerque e Museu Café Filho
18h às 19h30 - apresentações públicas dos bonequeiros.

Dia 3 – Feira do Alecrim (encerramento)
Das 9h às 11h - apresentações dos mestres do João Redondo presentes no evento em formato de dupla, com muita animação na Feira do Alecrim.


Orquestra Sinfônica do RN inicia temporada 2011 nesta terça-feira, 30


A Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte (OSRN) fará sua grande estreia para a Temporada 2011 na próxima terça-feira, 30 de agosto, no Teatro Alberto Maranhã, às 20h. A entrada custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). O Concerto Didático, será no mesmo horário, na quarta-feira, 31 de agosto, também no TAM.
A retomada das atividades regulares da OSRN conta com a regência de padre Pedro Ferreira da Costa, que também é responsável pelo coral Canto do Povo, do Governo do Estado. A escolha do repertório para a estreia, segundo ele, se baseia num provérbio latino que diz: bonum difusivum sui (“o que é bom é difusivo por si próprio”). “A OSRN passou mais de um ano sem atividade musical e para a retomada dos trabalhos entedemos que duas peças do conhecimento do público e de compositores dos mais renomados fosse um desafio para enfrentar a temporada de 2011”, diz o maestro.
A apresentação dos músicos da OSRN contará com peças de dois grandes autores: Abertura de “A Flauta Mágica” (Mozart) e Sinfona No. 5 (Tschaikowsky). “A música pode atingir todas as classes (sociais). O repertório sinfônico é carregado de elementos populares que podem atingir mais rapidamente as pessoas.  Nossa intenção de levar ao público duas peças consideradas populares e de autores conhecidos é mostrar que podemos fazer um trabalho bem feito e esse por si só já tem uma boa dose de contágio junto à população”, explicou o maestro.
Padre Pedro Ferreira da Costa, 75, assumiu a regência da OSRN no início de maio. Ao saber que a Orquestra Sinfônica estava inativa há mais de um ano, a governadora Rosalba Ciarlini ficou indignada e determinou à Secretaria Extraordinária de Cultura – FJA a tomar as providências para que a população em geral e os amantes da boa música não seguissem privados deste patrimônio público que tanto bem faz ao espirito. Quando convidado, padre Pedro Ferreira informou que primeiro relutou um pouco para aceitar o cargo pelo fato de também estar sob sua responsabilidade o Coral Canto do Povo, o que poderia ser uma sobrecarga. “Terminei por aceitar o desafio na consciência de que com a disponibilidade e a experiência dos músicos da OSRN poderemos levar ao público um conceito saudável da música sinfônica. E eu sinto isso, que os músicos componentes estão dispostos a enfrentar esse desafio e dar uma demonstração das suas potencialidades”, afirmou.
Indagado sobre qual a importância da música erudita para a representação de um Estado e a formação de seu povo, o maestro respondeu que a música tem várias formas de realizar suas expressões. Uma dessas formas é no sentido da diversão, mais popularmente. E a outra é no sentido de revelar a “sublimidade substancial da música”. E é aí que entra o papel de uma orquestra sinfônica. “Essa forma de expressão musical é muito autogratificante. E ela requer um ambiente propício para seu desempenho. A linguagem é um pouco mais abstrata. Mas não deixa de tocar o sentimento das pessoas, pela própria sonoridade dos instrumentos, pelas “famílias” dos instrumentos pertencentes a uma orquestra”, defendeu.
Atualmente a OSRN  conta com 47 músicos. Em sua estrutura oficial são 70 músicos, os quais estão afastados por motivos de formação profissional acadêmica, em outros Estados, ou por pedido de aposentadoria. De acordo com o maestro, para preencher os naipes da Orquestra por alguns desses profissionais, a regência convida músicos de outras instituições. Mas padre Pedro Ferreira deixa claro que as peças trabalhadas pelos músicos não sofrem alterações com a formação atual. “A quinta sinfonia de Tschaikowisk é dificílima no ponto de vista técnico. A OSRN vai começar a temporada com uma sinfonia que requer um empreendimento de alma e de técnica para que o bem seja difusivo por si próprio”, reforçou, deixando claro o empenho e dedicação dos seus músicos componentes.

Programa da estreia da OSRN
Abertura de “A Flauta Mágica” (Mozart)
Adágio – Allegro con anima (abertura)
Sinfonia no. 5 (Tschaikowsky)
I – Andante - Allegro con anima
II – Andante Cantabile, con alcuna licenza
III – Valse: Allegro Moderato
- Andante maestoso – Allegro Vivace (Finale)
Um pouco sobre o maestro Pedro Ferreira da Costa
Padre Pedro Ferreira da Costa, 75. Natalense, filho caçula de cinco irmãos de Adauto Ferreira da Costa e Ana Gomes da Costa. Aos sete anos fez parte de uma banda de música do Departamento de Educação (atual Secretaria de Educação) em Natal. tocando trompete. Aos 11 anos entrou no Seminário de São Pedro, onde fez ginário e clássico. Depois graduou-se com o Bacharelado em Filosofia e Teologia. Posteriormente fez Mestrado e Doutorado, na Itália, na Universidade Gregoriana de Roma (Filosofia) e Instituto de Música de Roma (Regência e polifonia). É criador do Madrigal da Escola de Música da UFRN e do Coral Canto do Povo. É também secretário do Arcebispado da Arquidiocese de Natal e tem, como clérigo, sob sua responsabilidade a comunidade Mateus Moreira, no bairro de Dixsept-Rosado.
Padre Pedro Ferreira já regeu a OSRN em outras ocasiões, de maneira informal. E, juntamente na regência do Coral Canto do Povo, foi convidado para reger outras orquestras sinfônicas como a de Pernambuco. Faz parte dos instrutores da Fundação Nacional da Arte (Funarte), responsável por reciclar maestros.

Agosto da Alegria tem Festival Gastronômico a partir de quarta-feira


O Governo do Estado do RN, através da Sape realiza o  Festival Gastronômico Sabor Potiguar que será entre as Praças Sete de Setembro e Andre de Albuquerque no centro de Natal, e tem como proposta destacar a importância da gastronomia como patrimônio cultural e como um produto, ou mesmo um atrativo de uma determinada localidade. Trata-se de um evento  muito importante do ponto de vista turístico, pois apresenta novas possibilidades, na verdade, não tão novas, mas nem sempre bem exploradas, que são as diversas formas de turismo voltadas para as características gastronômicas de cada região. No estado, nos últimos tempos nossa cultura gastronômica tem perdido um pouco sua identidade e a realização dessa Mostra Sabor Potiguar dentro do evento Agosto da Alegria, trará para o público em geral uma excelente oportunidade para reflexão sobre os estabelecimentos gastronômicos que cultivam as tradicionais iguarias da culinária norteriograndense.

Durante a realização dessa Mostra da Gastronomia  Potiguar, serão montados equipamentos que permitirão aos comerciantes de Botecos/Restaurante que detém aspectos da tradição da culinária natalense, tais como:  A Meladinha; La na Carioca; Bardallos;  Jobim, Botequim Ta na Hora; A Saideira, Cortes Nobres, Paçoca do Pilão, 294, La Tavola,  dentre outros estarão integrando a ?Vila Gastronômica do Festival  Sabor Potiguar".
            
Entendemos tambem que a hortaliça é à base de todos os temperos, trata-se deprodutos que oferecem sabor especial aos pratos e enchem os olhos com delicados e perfeitos visuais. E dentro dessa proposta, o Festival Gastronômico Sabor Potiguar será brindado por uma mostra de produção de agroecológica e de ervas aromáticas e medicinais.
           
Soma-se a isto, a utilização de ingredientes e pratos regionalizados como a carne de sol, a galinha caipira, feijão verde, goma de tapioca, farofa d?água ou do sertão, paçoca, arroz da terra, arroz de leite, camarão, manteiga da terra, pimenta de cheiro, nata, queijo coalho, mandioca, macaxeira, buchada e um bom carneirinho com bastante cheiro verde como alguns dos principais ingredientes usados pelos  chefes de cozinha nas receitas desse  festival sabor potiguar, esperando atrair quem deseja degustar novos sabores, conhecer à culinária Potiguar e trocar informações sobre os pratos regionais, divulgando a nossa cultura e os valores  por meio da gastronomia e dos seus pratos típicos que são fortes atrativos turísticos.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Paulinho da Viola e Catita Choro & Gafieira fazem show neste sábado, 27


Paulinho da Viola é o convidado de honra do Agosto da Alegria no show que ocorrerá no próximo sábado, 27 de agosto, no Largo Dom Bosco, a partir das 21h. Antes do show de Paulinho da Viola o Agosto da Alegria também levará ao público a música do Catita Choro e Gafieira. A entrada é gratuita.

O novo show de Paulinho da Viola foi apresentado despretenciosamente numa curta temporada no Teatro Fecap, em São Paulo, em outubro do ano passado. De acordo com divulgação, o sucesso foi tanto que em abril de 2011 o artista realizou uma turnê, com esse mesmo show, pelo interior de todo o estado de São Paulo.

Esse trabalho aborda um lado da obra de Paulinho da Viola de maneira diferente do show mais recente dele, divulgado pela MTV. De acordo com divulgação, o sambista volta a apresentar canções mais intimistas sem deixar de lado grandes sambas de quadra como "Peregrino", "Quanto bate uma saudade" e "Chega de padecer". A mistura perfeita de músicas de diferentes períodos, uma das marcas registradas do artista e tá o tom deste novo repertório.

O contraponto aos sambas de quadra se dá em canções como "Vela no Breu", "O tímido e a Manequim", "Cidade Submersa" e "Brancas e Pretas". Para os fãs que acompanham a carreira de Paulinho da Viola de perto esta será uma oportunidade única para ouvir músicas que não integram o repertório do compositor há pelo menos duas décadas.

Outra novidade é o fato de que Paulinho da Viola vai apresentar uma banda com formção menor, mais intimista, dando maior destaque para os músicos Cristóvão Bastos (piano), Dininho Silva (baixo), Celsinho Silva (pandeiro), Mário Sève (sopros), Hércules (bateria) e João Rabello (violão).

Mais próximo do público, Paulinho da Viola estará mais comunicativo, contando as histórias de seus sambas e até apresentando canções inéditas em primeira mão como uma degustação.

O Agosto da Alegria é uma ação do Governo do Estado e, durante todo o mês de agosto, apresenta em 11 eixos temáticos, as mais diversas vertentes da nossa cultura popular. Idealizado com a intensão de criar um "laço" entre a cultura e o turismo o Agosto da Alegria vem conquistando o público natalense e também turístico que por aqui passa nesse mês em que se comemora o Dia Mundial do Folclore. Agosto da Alegria conta com o patrocínio do Sesc e do Banco do Nordeste do Brasil.
  
Show Agosto da Alegria
Dia: 27 de agosto
Local: Largo do TAM
Hora: 21h
Entrada Gratuita

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Parafolclóricos se apresentam no TAM até sábado, 27/08


As apresentações Parafolclóricas do Agosto da Alegria começaram com a presença marcante do Balé Popular do Recife e do Balé Popular de Natal. O público compareceu em peso ao teatro e poucas poltronas ficaram vazias.  Cores, luzes, brilhos, fantasias, ritmos e muita dança embalaram os artistas e quem estava na platéia, ninguém ficou parado. Até sábado, o público poderá conferir várias apresentações da danças parafolclóricas, lembrando que não paga nada para assistir aos espetáculos.

O primeiro grupo a se apresentar foi o Balé Popular de Natal. De início dois atores saíram do meio da platéia para o palco, já mostrando a interação com o público, que acompanhou atentamente aos diálogos que falava sobre o tema a ser apresentado pelo Balé.  O espetáculo intitulado "Aos Mestres, Isto é Natal" mostrou as manifestações folclóricas das zonas urbanas da capital potiguar, com interface na cultura de subsistência dos tempos áureos, lembrando a pacata Natal canguleiros. As coreografias estavam sempre acompanhadas, na maioria, de músicas de cantores da terra, como Pedrinho Mendes, Galvão Filho e Carlos Zens. Em alguns momentos a platéia seguiu com palmas as danças apresentadas. A cultura popular foi apresentada através do Boi de Reis, Manoel Marinheiro, Chico Daniel e tantas outras diversidades do povo potiguar.

De Pernambuco veio a animação peculiar daquele povo com muita música, coreografias, fantasias enfeitadas e o gingado do frevo. Tanto nas apresentações individuais como nas coletivas o público ia ao delírio com a precisão dos movimentos e a dança. O Balé Popular do Recife contagiou a plateia que acompanhava tudo com palmas e gritos de animação. Foram abordados vários aspectos da cultura daquele povo, mas o final foi mais especial ainda quando as músicas do frevo começaram a tocar e as coreografias típicas desse rítmo foram encenadas pelo grupo. Movimentos rápidos e delirantes, saltos e passes perfeitos com o acessório típico do frevista, a sombrinha, completaram o espetáculo que fez o público levantar das cadeiras e aplaudir de pé.

Os dois Balés mostraram a força da Cultura Popular de um povo, apresentada no palco do TAM, com um gostinho de "quero mais". Nesta quinta-feira, 25, o estado do Pará terá presença no Teatro Alberto Maranhão, representado pelo Grupo de Expressões Folclóricas Cheiro do Pará. Também acompanha a noite o Macambirais de Passa e Fica, do Rio Grande do Norte. O Programa Agosto da Alegria é uma ação do Governo do Estado, sob a coordenação geral da Secretaria Extraordinária de Cultura e Fundação José Augusto (Secultrn/FJA) e conta com o patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil e do Sesc.

"Sou um contador de histórias" - Ariano Suassuna encanta plateia do Agosto da Alegria


"Sou um contador de histórias". A frase representativa foi dita pelo escritor Ariano Suassuna durante sua Aula Espetáculo no Largo do TAM, que ocorreu na terça-feira, 23, dentro do Programa do Governo do Estado Agosto da Alegria. Durante cerca de uma hora, o contador de histórias trouxe para si a atenção, a empatia e a descontração de aproximadamente 2,5 mil pessoas e, imediatamente quando encerrou sua aula que misturou anedotas, noções de filosofia e literatura, deixou saudades.

Suassuna foi professor de Filosofia da Arte e, dentro de uma simplicidade e conhecimento adquiridos ao longo dos seus 84 anos, avisou à plateia, composta por muitos alunos pre-vestibulandos que foram ouvi-lo falar sobre a obra O Santo e a Porca, que não se assustasse porque o "estudo da Filosofia da Arte pode ser bom e divertido". E estava certo. Embora estivesse lhes dando noções de como é concebida a literatura clássica, de vez em quando sua fala era interrompida pelas risadas da plateia. Suassuna falou sobre dois dos campos no qual a literatura pode ser trabalhada: o doloroso e o risível. E dividiu-os em dois grupos: trágico e dramático e cômico e humorístico. "Todo acontecimento trágico é doloroso, mas nem tudo que é doloroso é trágico", ensinou, citando Ghandi, como exemplo de um herói trágico que carrega em si caracteríticas como o  "representativo e excepcional". "O herói trágico busca o conflito e procura seu destino", explicou. Enquanto que, segundo suas explicações, o herói dramático é um homem comum a quem é dado um destino excepcionalmente doloroso.

Para falar sobre os grupos cômico e humorístico, caminhos que precediam suas explicações para o Santo e a Porca, Suassuna levou a referência do povo brasileiro, espirituoso o suficiente para rir de suas próprias desgraças e misérias. "O povo brasileiro tem esse traço simpático de provocar o riso de si mesmo", sentenciou e explicou à plateia, depois de contar uma piada sobre dois cegos, que o riso muitas vezes é provocado daquilo que, aparentemente é trágico. E que isso na literatura se trata de uma "inversão".

"O cômico é uma desarmonia sem grandes consequências. Para Bergson (Henri Bergson) existe no autor cômico a obrigação de anestesiar a sensibilidade. Essa piada que eu contei agora sobre os dois cegos, e que vocês riram, se a gente for parar para pensar na situação, é de uma tragicidade sem tamanho. De maneira que eu criei a situação do cômico nessa história terrível, pela repetição, e utilização de alguns gestos que fiz para distrai-los", explicou.

Para chegar ao Santo e a Porca, Suassuna falou do humorístico, citando o filme Luzes da Ribalta e a personagem Carlitos, de Charles Chaplin, como uma referência: "o humorístico junta o doloroso com o trágico. Esse filme e os demais de Charles Chaplin têm situações profundas, mas que levam ao cômico. O Santo e a Porca é uma comédia que no fim termina comovendo as pessoas. Eu fiz uma tragicomédia". Suassuna finalizou a palestra dizendo que sua pretensão ao criar a peça O Santo e a Porca foi chamar atenção para o conflito existente entre o sacro, simbolizado pelo "Santo" que representa a ideia de Deus, e o profano, simbolizado pela "Porca", que representa o dinheiro, a avareza e aquilo que é material.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Ariano Suassuna dá Aula Magna no Agosto da Alegria

É nesta terça-feira, 23, às 19h, no Largo do TAM, a aula magna com o grande Ariano Suassuna. O dramaturgo paraibano radicado em Pernambuco vem conversar com o público natalense sobre “O Santo e a Porca”, uma das suas obras que desde 2011 é indicada para o Vestibular da UFRN.  Suassuna que é autor de clássicos como “Auto da Compadecida” e a “Pedra do Reino”,  vem abrir o Seminário Diálogos da Ciência com a Cultura Popular, promovido pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte – FAPERN – em parceria com a Secretaria Extraordinária da Cultura e Fundação José Augusto (Secultrn/FJA) e UFRN, através do NAC e Grupo de Estudos sobre Culturas Populares.

O seminário pretende promover e incentivar ações de ciência integrada à cultura popular em nosso Estado e também difundir, dentro do Programa “Agosto da Alegria, a cultura e a ciência Potiguar. A aula-espetáculo de Ariano Suassuna será ainda uma ótima chance para os candidatos a uma vaga na UFRN entenderem melhor o universo de “O Santo e a Porca” - peça teatral do gênero comédia, escrita em 1957, que aborda a avareza e traz elementos maniqueístas também presentes em outros clássicos deste consagrado autor.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dia Mundial do Folclore terá grande evidência no Agosto da Alegria


No Dia Mundial do Folclore, lembrado nesta segunda-feira, 22 de agosto, a Secretaria Extraordinária de Cultura do RN e Fundação José Augusto (Secultrn/FJA) tem vasta programação dentro do Programa Agosto da Alegria. Dentre elas, duas ocorrerão na Fundação José Augusto e Teatro de Cultura Popular Chico Daniel. A primeira é abertura da Exposição Privado é Público – As Cores do Folclore, com acervo particular de Daliana Cascudo e Gutemberg Costa, a partir das 20h, na Galeria Newton Navarro. E a segunda é a palestra do arquiteto Carlos Augusto Lira, dentro do Projeto Arte Potiguar no Mundo, no TCP, às 19h30, falando sobre o tema Arte Popular e Arquitetura. “Não podíamos deixar de evidenciar o Dia Mundial do Folclore, lembrado em 22 de agosto, cuja data pede a celebração em diversos pontos de nossa programação. Mas, justamente pelo tamanho e importância das manifestações folclóricas e populares do nosso Estado, que decidimos ampliar as comemorações – anteriormente lembradas durante uma semana – para todo o mês com o Agosto da Alegria”, afirmou a secretária Extraordinária de Cultura (Secultrn/FJA), Isaura Rosado.

A exposição As Cores do Folclore conta com a coleção de lamparinas de Gutemberg Costa e de objetos que remetem à Cultura Popular, de Daliana Cascudo, neta de Luís da Câmara Cascudo. O conceito desse projeto, que leva ao público acervos particulares, sem caráter comercial, se alia no Agosto da Alegria para mostrar elementos da cultura popular. Nas palavras do mestre Luís da Câmara Cascudo: “O povo tem uma cultura que recebeu dos antepassados. Recebeu-a pelo exercício de atos práticos e audição de regras de conduta, religiosa e social. A transmissão oral consagra a Cultura Popular porque a lembrança guarda realmente as permanentes da sabedoria tradicional. A sabedoria vive mais ardente na consciência e não nos registros que a sepultam para uma consulta, que é uma breve ressurreição. A Cultura Popular fica sendo o último índice de resistência e de conservação do nacional ante o universal que lhe é, entretanto, participante e perturbador”.

Para falar sobre o diálogo entre a Arte Popular e a Arquitetura, o projeto Arte Potiguar no Mundo, convidou o arquiteto e natalense – radicado no Recife (PE), Carlos Augusto Lira. Ele é responsável pelas intervenções urbanas do Carnaval Multicultural de Recife há 11 anos. E também um dos maiores colecionadores do Nordeste de arte popular. Vivendo longe de sua cidade-natal, sem nunca esquecê-la, Lira promete fazer uma das melhores palestras dentro do Arte Potiguar no Mundo, que objetiva trazer expoentes do fazer artístico e cultural para falar sobre sua trajetória profissional.

Afora os eventos nas dependências físicas da Secultrn/FJA o Dia 22 também contará com abertura da Exposição Popular e Erudito, no Centro de Turismo, início dos cortejos nos bairros de Natal, intitulados: Celebrando a Cultura Popular, cuja abertura será no Conjunto Santa Catarina; além de ampla programação no Instituto Luís da Câmara Cascudo – Ludovicus, a partir das 17h30, e o último dia do 15º Encontro de Cultura Popular e 1º Circuito de Brincantes do Brasil, no Palácio Potengi, com apresentações dos Congos do Piauí e Boi de Reis de Baile e Maneiro Pau, do Rio Grande do Norte.


Diogo Gonçalves hoje no TAM


O bailarino Diogo Gonçalves se apresenta hoje no Teatro Alberto Maranhão, a partir das 20h. Ele sobe ao palco com convidades para mostrar todo seu talento na dança.Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10.

Diogo Gonçalves é ex-bailarino do Grupo Clássico da Escola de Dança do TAM e atualmente estuda no The Harid Conservatory, na Flórida (EUA), onde recebeu bolsa de estudos desde agosto de 2010.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Antônio Nóbrega e Cleudo Freire no Largo do TAM neste sábado, 20/08


O show musical Agosto da Alegria deste sábado terá dois grandes nomes levando o melhor da música e também das performances teatrais. O primeiro a se apresentar será o cantor e compositor Cleudo Freire. Em seguida o artista Antônio Nóbrega sobe ao palco no Largo do TAM. A entrada é gratuita e os shows começam a partir das 22h. O Agosto da Alegria é um programa do Governo do Estado, sob a coordenação da Secultrn/FJA e conta com o patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil e Sesc.
“Múltiplo” em se tratando de Antônio Nóbrega não é simplesmente um adjetivo e sim um substantivo que conceitua a atuação desse profissional no mundo das artes: ator, dançarino, e músico ele escreve e dirige espetáculos. Como se não bastasse, Antônio Nóbrega tem o dom de envolver, como poucos, seus espectadores na cultura e imaginário nordestino. Até os 18 anos dedicou-se à música erudita. Ao ser convidado por Ariano Suassuna para integrar o Quinteto Armorial – grupo voltado para música de câmara erudita brasileira, com raízes populares – Nóbrega passou a fazer contato com diversos artistas populares e passou a estudar intensamente a música, dança e a maneira de representar dos brincantes brasileiros.


O estilo próprio de concepção em artes cênicas envolvendo dança e música começou em meados nos anos 1970 quando estreou nos palcos com A Bandeira do Divino ( 1976), seguindo com os espetáculos dirigidos por ele próprio como  A Arte da Cantoria (1981); Maracatu Misterioso (1982) e Mateus Presepeiro (1985). O espetáculo Brincante (1992) conta com direção dele e de Romero Andrade Lima, texto de Bráulio Tavares, de quem encenou também Segundas Histórias, em 1994. O trabalho sempre voltado para a exaltação da cultura popular já lhe rendeu muitos prêmios no Brasil e no mundo. Só para citar um, foi vencedor do Prêmio Multicultural Estadão. Suas criações mais recentes são O Marco do Meio Dia (2000), textos de Wilson Freire e Lunário Perpétuo. Entre os anos de 2004 e 2005, ao lado de Rosane Almeida, Nóbrega realizou pelo Canal Futura o projeto Danças Brasileiras, uma série com 12 programas na qual a dupla viaja pelo Brasil, interagindo com as comunidades e descobrindo formas de dançar que fazem parte da tradição popular. Esse trabalho consiste numa pesquisa dos dois artistas com finalidade de elaborar uma “linguagem brasileira de dança”, fundamentada nas raízes brasileiras.

A personagem “Tonheta” é quem dá vida ao trabalho cênico do ator, cantor e músico nos palcos. Segundo ele, é uma espécie de anti-heroi popular e uma “colcha de retalhos” dos tipos populares que povoam as ruas e praças do país,  num misto de pícaro, bufão, palhaço, arlequim e vagabundo.
Cleudo Freire iniciou sua carreira no início dos anos 1980. Em 1985 participou do Projeto Pixinguinha. Realizou aberturas de shows de Fagner, Pena Branca e Xavantinho e Mestre Ambrósio. Em 1993 foi classificado no festival Canta Nordeste promovido pela Rede Globo Nordeste e TV Cabugi. Em 1998 lançou o primeiro CD, "Zambê", no qual faz um resgate da cultura negra no rio Grande do Norte. No Cd está presente uma grande fusão de ritmos como coco de roda, funk, soul, baião e xote. No mesmo
disco, musicou o poema "Banzo", de Câmara Cascudo, publicado na Revista Antropofagia em 1927.
Ele diz que possivelmente os fãs pedirão canções do Zambê Crossover. Mas ele também vai mostrar composições novas. Defensor da bandeira de que o compositor não pode fazer papel de "radiola de ficha", Cleudo Freire acredita que o artista "deve mostrar um trabalho autoral e mesmo que cante coisas de outras pessoas, tem que botar sua personalidade".
Antenado com as novas tecnologias, Cleudo Freire explica que está trabalhando muito com a linguagem de sampler nas suas novas composições e aliando também ao seu mais recente objeto de pesquisa musical: "Estou estudando o forró e pegando a linguagem tanto de texto quanto de música e fazendo o que eu gosto, cruzando com referências pop dos anos 1970. Buscando encaixar como é possível o forró e essas referências", explica. É projeto seu também dentro em breve disponibilizar todo seu material musical até então produzido via internet. Freire diz que não pretende mais gravar em CD.

Show de Antônio Nóbrega e Cleudo Freire
Dia: 20 de agosto
Hora: 22h
Local: Largo Dom Bosco, na Ribeira
Entrada Gratuita

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Obras de Fé Córdula expostas no Agosto da Alegria

Pela primeira vez no Estado, dentro da programação do Agosto da Alegria, ocorre uma exposição individual de um dos seus maiores nomes de arte Naif do Brasil: o potiguar, radicado em Goiás, Fé Córdula. A exposição está dividida em quatro temas: "A Fé"; "O Fantástico"; "O Reino" e "O Povo". E a vernissage começa nessa terça-feira, 16, a partir das 18h no Palácio Potengi - Pinacoteca do Estado.

Foto: Gustavo Porpino

A secretária Extraordinária de Cultura e FJA, Isaura Rosado foi pessoalmente conversar e buscar as 23 telas que compõem a mostra individual. Por conta de limitações físicas, Córdula que já tem mais de 70 anos, não virá para a abertura de sua exposição, mas será representado pela filha, Maria Alice Córdula.

Dono de um traço marcante e de cores vibrantes, Córdula diz que "tudo começa a partir do primitivo" e assim, construiu sua obra. O público poderá conferir telas que remetem à religiosidade, ao folclore e ao mundo fantástico, com figuras que parecem tiradas do realismo literário de grandes dos nosso escritores latinos.

A visitação de Arte de Fé na Pinacoteca poderá ser feita até o dia 16 de setembro, de terça a domingo, das 8h às 17h.

O Programa Agosto da Alegria é uma ação do Governo do RN e conta com o patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil e do Sesc.

Foto da tela: Giovanni Sérgio

sábado, 13 de agosto de 2011

COMUNICADO: Cancelamento do Show deste sábado, 13 de agosto

As fortes chuvas que caíram na noite deste sábado, 13 de agosto, provocaram o cancelamento do Show Agosto da Alegria no Largo do TAM, na Ribeira. Subiriam ao palco os artistas Carlos Zens, Isaque Galvão, Khrystal e integrantes da Orquestra Sanfônica. Todos, em comum acordo, acharam por bem, juntamente com a organização do evento, cancelar as apresentações devido às chuvas, sobretudo por uma questão de segurança deles no palco. A Secultrn/FJA lamenta o ocorrido e avisa que as apresentações do Agosto da Alegria em suas diversas linguagens, locais e horários permanecerá colorindo a cidade com as manifestações folclóricas até 4 de setembro de 2011.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Secultrn/FJA convida classe artística teatral para reunião segunda, 15/08


A Secretaria Extraordinária de Cultura do RN e Fundação José Augusto (Secultrn/FJA) convida atores, atrizes, diretores e outras pessoas envolvidas em Artes Cênicas para reunião na próxima segunda-feira, 15 de agosto, às 11h, no Auditório Franco Jasiello, na FJA. A reunião tem por objetivo articulações e definições sobre uma  Oficina de Artes Cênicas, que será realizada em setembro em Natal, numa parceria entre a Secultrn/FJA e a Funarte.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Show de Sábado no Largo do TAM recheado de grandes artistas da terra

Um time de peso da música potiguar vai animar o público no próximo sábado, 13 de agosto, no Largo do TAM, dentro do Programa Agosto da Alegria. O show musical será comandando por Carlos Zens, Isaque Galvão, Khrystal e Orquestra Sanfônica, a partir das 21h. A entrada é gratuita. A princípio o show seria com a presença de Chico César. Porém o cantor paraibano que atualmente ocupa o cargo de secretário de Cultura da Paraíba enviou ofício à Secultrn/FJA informando de compromisso de trabalho enquanto secretário, durante todo este final de semana na cidade de São Paulo, o que inviabilizaria sua presença artística no Agosto da Alegria.
Carlos Zens, instrumentista, flautista, cantor, compositor e professor de música, vai apresentar seu mais novo show no Agosto da Alegria, divulgando seu mais recente CD “Do Mar ao Sertão”. De acordo com divulgação esse novo trabalho se dedica ao mar e à sua veneração pelo sertão. No repertório toda a diversidade rítmica do maracatu, samba de roda, ciranda, maxixe, coco e baião, em composições autorais e também de outros grandes nomes da MPB. Ao seu lado, participam os músicos: Pedro Paulo (violão, viola de 12 e vocal); Ricardo Menezes (violão de 7 cordas);  Ademir Adriano (acordeon); Kleiber Viana (surdo, zabumba e triângulo) e Dudu Campos (efeitos e alfaia).
O show que Isaque Galvão, Khrystal e Orquestra Sanfônica levarão para o público do Agosto da Alegria terá canções nordestinas que marcaram a carreira desses dois cantores de sucesso dentro e fora do Rio Grande do Norte. Khrystal vai cantar músicas como “Coco com M” e “Gosto do Amor”, já Galvão solta o vozeirão em clássicos como “Pau de Arara” e “Boi Tungão”. Os dois cantores também se juntarão no palco para executar canções do cancioneiro popular para deleite da plateia. A Orquestra Sanfônica também vai mostrar seu talento executando obras clássicas com “Bolero de Ravel” e “Asa Branca”.

Show Agosto da Alegria
Carlos Zens, Isaque Galvão, Khrystal e Orquestra Sanfônica
Local: Largo do TAM
Hora: 21h
Entrada gratuita

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Programação da Semana do Agosto da Alegria

Após o sucesso da abertura oficial do Agosto da Alegria com a mesa redonda Cultura X Turismo X Economia, lançamento de cordeis, livros e do Concurso Fotográfico Agosto da Alegria, a programação segue recheada durante toda a semana.

Nesta terça-feira (9) os amantes da cultura popular no cinema assistem a apresentação do filme “A pessoa é para o que nasce”, com as Ceguinhas de Campina Grande, no Teatro de Cultura Popular. Antes da exibição, os cinéfilos terão a oportunidade de bater um papo com as protagonistas do filme, Conceição, Regina e Maria Barbosa, e saber um pouco mais da produção que versa sobre os afazeres cotidianos destas mulheres e revela suas curiosas estratégias de sobrevivência.

Durante toda a semana o Museu da Cultura Popular recebe a Arte Naif, das 9h às 17h. Nesse mesmo horário, na Fundação Capitania das Artes, os alunos da SEMTAS participam do projeto Relendo Arte. Na FAL da Romualdo Galvão, nesta quarta e quinta-feira será realizado o Bazar da Liberdade, do Projeto Transforme-se, das 18h até as 22h.

Para quem gosta de exposição fotográfica, o Agosto da Alegria traz a exposição de “Marias de Anchieta (vernissage), no Teatro de Cultura Popular a partir das seis horas da noite seguindo no mesmo horário, também, na quinta e sexta-feira.

Os cinéfilos vão também poder bater um papo nesta quarta-feira (10) com o diretor Walter Carvalho e assistir o documentário Moacir – Arte Bruta, a partir das 19h no Teatro de Cultura Popular Chico Daniel, anexo à FJA. O filme retrata a vida de Moacir, que supera todas as dificuldades motoras e do corpo para se expressar através de desenhos.

A Arte Popular entra em cena com a abertura do Salão Nordeste de Arte Popular Chico Santeiro, no Palácio Potengi, às 19h da próxima quinta-feira, seguindo na sexta, sábado e domingo, mas de novo horário, a partir 8h às 17h, de terça a domingo, até o dia 7 de setembro. São 30 trabalhos expressivos produzidos em desenho, pintura, gravura, escultura e tralha.




Na sexta, de volta à Mostra de Cinema no TCP, será exibido o filme “Oswaldo Lamartine – um príncipe no sertão”, documentário de 30 minutos, produzido a partir de uma entrevista concedida pelo escritor, Oswaldo Lamartine de Faria (1919-2007) aos docentes Humberto Hermenegildo e Vilma Vítor Cruz, em julho de 2005. Em 2010, para compor o documentário, resolveu-se pegar depoimentos de personalidades que conviveram com Oswaldo Lamartine e, dessa forma, realizar uma homenagem póstuma a um dos maiores sertanólogos do Brasil. O vídeo faz parte do acervo do Centro de Documentação do Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-Rio-Grandenses. Os participantes terão, também, a oportunidade de bater um papo com os autores do documentário.

O sábado, 13 de agosto, começa recheado de oficinas no Projeto Conexão Felipe Camarão, Capoeira, Lutheria de Rebeca e Boi de Reis, tudo começando bem cedo, a partir das 8h.  À noite, o Agosto da Alegria oferecerá ao público duas atrações diferentes: no Teatro de Cultura Popular, às 19h, o último documentário a ser exibido durante a mostra Cultura Popular no Cinema, será “Canta Meu Boi”, do diretor Ney Santanna, que baterá um papo com o público participante.


Já no largo do TAM, na linguagem Música, que está recebendo grandes nomes da música local e nacional, será  a vez da apresentação de Carlos Zens, Isaque Galvão, Khrystal e Orquestra Sanfônica.


A alegria continua no domingo, além do Salão de Arte Popular Chico Santeiro e da Exposição Arte Naif, o Parque das Dunas recebe Mamulengos, Grupos de Danças Populares e muito mais. Diversão para toda família que gosta da natureza e aproveita para conhecer um pouco mais da nossa cultura, tudo a partir das dez horas da manhã.

Lembrando que todos os eventos do Agosto da Alegria são gratuitos.


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Mesa redonda abre oficialmente o Programa Agosto da Alegria hoje no TAM

Quatro convidados e um objetivo em comum: falar sobre as experiências que tiveram êxito no binômio Cultura X Turismo e, por sua vez, que alavancaram a economia dos seus respectivos estados. A mesa redonda que lançou oficialmente o programa do Governo do Rio Grande do Norte, Agosto da Alegria, contou com a presença dos convidados Roberto Schimit, chefe de gabinete do governo do Rio Grande do Sul; o prefeito de Olímpia (SP), Eugênio Zuliani, o diretor de Políticas Culturais da Secretaria de Cultura de Pernambuco, Carlos Carvalho e o diretor do Boi Garantido de Parintins, Fred Góis. As palestras e posterior perguntas dos convidados que lotaram o palco do Teatro Alberto Maranhão, na tarde da segunda-feira, 8 de agosto, contou com a mediação do secretário de Estado do Turismo do RN, Ramzi Giries Elali.
Fred Góis foi o primeiro a falar e destacando alguns fatos que colocaram a festa Boi de Parintins no calendário turístico do Brasil, atraindo tanto turistas locais quanto estrangeiros: Criação do Bumbódromo em 1988; incentivo do Governo que patrocinou tanto a construção de suítes nas residências para receber turistas, quanto a iniciativa privada para a construção de hotéis. “Com essas mudanças, Parintins, que é a segunda maior cidade da Amazônia, passou de 4.700 turistas em 2005, para 30 mil em 2011”, ilustrou ele. Robert Schimit evidenciou o diferencial de Gramado (RS) pela sua distância dos grandes centros e potencialidades turísticas e “transversalidades” em várias áreas do turismo de aventura, rural e turismo cultural. Este ano, já são 25 anos que Gramado promove a grande festa no período natalino.
O terceiro a falar foi Carlos Carvalho, da Secretaria de Cultura de Pernambuco, que apresentou dados e gráficos, mostrando a evolução e o trabalho que foi realizado para colocar o Estado no calendário nacional de eventos, em várias regiões, como é o caso do carnaval de Recife e Olinda, o ciclo junino de Caruaru e a Paixão de Cristo em Nova Jerusalém. Segundo ele, o Projeto Pernambuco Nação Cultural, os cerca de 110 fóruns realizados ao ano, a criação de comissões regionais para discutir a cultura e suas potencialidades turísticas, a divisão do estado em 12 macro-regiões e o trabalho “in loco” do turismo foram algumas estratégicas de levaram Pernambuco a ser a referência que é atualmente no âmbito da valorização cultural atrelada ao turismo.

O quarto convidado, prefeito de Olímpia (SP), Eugênio Zuliani falou do orgulho da sua cidade em ser considerada a “capital do folclore”, devido aos 47 anos de criação e execução do Festival de Folclore de Olímpia, que este ano homenageou o folclore potiguar e sua essência, no período de 31 de julho a 7 de agosto. “Sem agredir a essência, ou criar coisas fantasiosas, conseguimos ajustar as políticas públicas e obter resultados significativos no turismo de nossa cidade, a exemplo do Festiva de Folclore”, resumiu ele, finalizando o discurso.
Profª Isaura Rosado entre os convidados

domingo, 7 de agosto de 2011

Show do Agosto da Alegria lota Largo do TAM ontem

Isaura Rosade e Jorge Aragão no camarim, minutos antes do show


O show de Jorge Aragão, ocorrido ontem, no Largo do TAM, e que abriu a temporada de atrações locais e nacionais durante o Agosto da Alegria foi sucesso de público. Antes da entrada do sambista carioca, o público já lotava todos os recantos do espaço e se deliciou com as apresentações das Escolas de Samba: Balanço do Morro, Imperatriz Alecrinense, Malandros do Samba e Acadêmicos do Morro.

O Agosto da Alegria terá mais de 400 apresentações, envolvendo várias linguagens que valorizam a cultura popular e aliam à atividade turística do Rio Grande do Norte. O próximo show no sábado, 13, contará com a presença de Chico César e Carlos Zens, novamente no Largo do TAM, a partir das 21h, com entrada gratuita.

Já nesta segunda-feira, 8, o público natalense está convidado para participar da Mesa Redonda que vai discutir Cultura, Turismo e Economia, a partir das 15h, no TAM, e contará com presença de grandes nomes do fazer cultural e turístico de Estados como Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo. Nesta segunda-feira também ocorrerão lançamentos de livros, cordeis e do Concurso de Fotografia Agosto da Alegria.

A programação completa pode ser acessada nos endereços: www.cultura.rn.gov.br ou www.agostodaalegria.com.br

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Jorge Aragão vai embalar o show de estreia do Agosto da Alegria

Jorge Aragão é o artista nacional que abrirá os shows musicais do Agosto da Alegria, que estreia no próximo sábado, no Largo do TAM, a partir das 21h. Ele não estará sozinho no palco, o show terá a participação de Blocos Carnavalescos e Escolas de Samba de Natal. A entrada é  gratuita.

Nascido no subúrbio de Padre Miguel, no Rio de Janeiro, Jorge Aragão é dono de vários sucessos da Música Popular Brasileira, como “Coisinha do Pai”, composta em parceria com Almir Guineto e Luiz Carlos. Canção que é sem dúvida, uma das mais conhecidas do cantor, que foi consagrada na voz de Beth Carvalho. Essa música, inclusive, foi levada além fronteiras terrenas pois, ganhou uma gravação especial em 1997 para “acordar” o robô Mars Pathfinder, que foi enviado à Marte pela Nasa. Além dessa canção, outras muito conhecidas dele são "Coisa de Pele", "Vou Festejar", "Alvará", "Terceira Pessoa", "Amigos… Amantes", "Do Fundo do Nosso Quintal" e "Enredo do Meu Samba". Aragão terá a companhia de carnavalescos, blocos e as seguintes Escolas de Samba no palco:  Malandros do Samba; Balanço do Morro; Imperatriz Alecrinense e Acadêmicos do Morro.


Dono de um samba que passeia pelo espirituoso e romântico, João Aragão da Cruz já se consagrou como um dos maiores nomes desse gênero musical, sem se esquecer das suas raízes. “Saber de onde vim, lembrar pra onde ir e voltar pra que eu possa amar e preservar meus iguais”, esse é seu sentimento mais profundo e o que permeia sua trajetória de vida e carreira profissional.

Sua carreira como sambista começou ainda nos anos 1970, cantando em bailes e casas noturnas. O reconhecimento como compositor chegou com uma madrinha de peso quando, em 1977, Elsa Soares gravou sua canção Malandro. Aliás, ser gravado por grandes nomes faz parte da sua carreira, intérpretes como Beth Carvalho, Alcione, Zeca Pagodinho e Martinho da Vila têm canções suas no reportório.  Aragão também integrou o grupo de pagode Fundo de Quintal, tendo sido um dos seus principais compositores e letristas, antes de enveredar pela carreira solo.

O primeiro disco gravado foi em 1981 e levava seu nome. Em seguida, gravou Verão, em 1983; Coisa de Pele, chegou três anos depois; seguido de Raiz de Flor (1988) e Bar da Esquina (1989), sendo o mais recente Duetos, gravado em 2009, contabilizando mais de 30 discos e dois DVD´s gravados. O trabalho que não é reunião de gravações antigas mais recente é E aí?, gravado em 2006. Em, seu site oficial, há a informação de que Aragão agora incursiona também pela gastronomia, dando palpites e assinando alguns pratos, dentro do projeto Bossa Nova, um restaurante que abriu em sociedade com os amigos Marcelo Maneiro e Mauricio Ferreira.

Show de Jorge Aragão
Dia: Sábado, 6 de agosto
Hora: 21h
Local: Largo do TAM
Entrada Gratuita





Veja relação completa dos selecionados do Salão Chico Santeiro

Foi classificado em primeiro lugar para receber prêmio aquisição do Salão na categoria escultura: LUZIA DE ARAÚJO DANTAS

Foi classificado em segundo lugar para receber prêmio aquisição do Salão na categoria pintura FRANCISCO IRAN

Foi classificado em terceiro  lugar para receber prêmio aquisição do Salão na categoria pintura IVONE GONÇALVES MENDES :

Ainda foram selecionados 27 (vinte e sete) participantes para receberem o Prêmio participação os seguintes categorias:

Pintura
Iaperi Soares de Araújo
Mário Sergio
Francisco de Assis Batista Costa 
Carlos Sergio Borges 
Álvaro Alberto Silva Pereira
Francisco Walter da Silva 
José do Nascimento Júnior
José Fernando Soares de Assis
Lenilson Nunes Pontes
Rafael Nascimento Santos
Iron Garcia Dantas
Newton Avelino 
Antônio Matias de Souza
José Alves dos Santos.

Talha
Manoel Vicente da Silva
Jucélio Evangelista dos Santos
Categoria Esculturas:
José Ivan Soares
Ambrósio Córdula
Elídio Luiz da Silva
José Torres Pereira
Antônio Santana
Fábio Antônio Albuquerque Smith
Felipe Soares de Lima
Leila Machado Lima Smith,
Marcos Paulo da Costa
Maria do Socorro Silva .

Desenho
Francisco Wagner de Oliveira
 
Comissão Julgadora:

Dorian Gray Caldas, Antonio Marques de Carvalho Júnior e Mara Beatriz Pucci de Mattos

Fonte: Diário Oficial do Estado, dia 2 de agosto de 2001
 
Atenção: os selecionados devem procurar a Pinacoteca e a Secultrn/FJA para disponibilizar a obra, bem como outras documentações necessária: comprovante de residência, RG, CPF, PIS/PASEP ou NIT, dados bancários e endereço eletrônico. Mais informações: 3232 9727 ou 8106 2185.